WhatsApp do Vestiprovas
Compartilhar

Responder Questão:

Minas Gerais UFTM 2013.2 Questão: 3 Português Geral 

Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade para responder às questões de números 01 a 04.

Nascer de novo
Nascer: findou o sono das entranhas.
Surge o concreto,
a dor de formas repartidas.
Tão doce era viver
sem alma, no regaço
do cofre maternal, sombrio e cálido1.
Agora,
na revelação frontal do dia,
a consciência do limite,
o nervo exposto dos problemas.
Sondamos, inquirimos
sem resposta:
Nada se ajusta, deste lado,
à placidez2 do outro?
É tudo guerra, dúvida
no exílio?
O incerto e suas lajes
criptográficas?
Viver é torturar-se, consumir-se
à mingua de qualquer razão de vida?
Eis que um segundo nascimento,
não adivinhado, sem anúncio,
resgata o sofrimento do primeiro,
e o tempo se redoura.
Amor, este o seu nome.
Amor, a descoberta
de sentido no absurdo de existir.
O real veste nova realidade,
a linguagem encontra seu motivo
até mesmo nos lances de silêncio.
A explicação rompe das nuvens,
das águas, das mais vagas circunstâncias:
Não sou eu, sou o Outro
que em mim procurava seu destino.
Em outro alguém estou nascendo.
A minha festa,
o meu nascer poreja3 a cada instante
em cada gesto meu que se reduz
a ser retrato,
espelho,
semelhança
de gesto alheio aberto em rosa.

1 cálido: quente.
2 placidez: tranquilidade; serenidade.
3 porejar: fazer sair ou sair pelos poros; suar, transpirar.

(Poesia, 2002.)

Explique a diferença no emprego do termo

a) outro, nos versos: “Nada se ajusta, deste lado, / à placidez do outro?” e “Não sou eu, sou o Outro”.

b) nascer, nos versos: “Nascer: findou o sono das entranhas.” e “o meu nascer poreja a cada instante”.



TEMPO NA QUESTÃO

Relógio00:00:00

Gráfico de barras Meu Desempenho

Português Geral

Total de Questões: ?

Respondidas: ? (0,00%)

Certas: ? (0,00%)

Erradas: ? (0,00%)

Somente usuários cadastrados!

Postar dúvida ou solução ...