WhatsApp do Vestiprovas
Compartilhar

Responder Questão:

Goiás UFG 2013.2 Questão: 39 História História do Brasil Império Segundo Reinado (1840-1889) 

Leia o texto e analise a imagem apresentados a seguir.

Pela linha paterna, o príncipe imperial descendia de reis e antepassados ilustres. D. Pedro II era o oitavo duque de Bragança, cuja família estava entrelaçada com os Capetos da França. Pela linhagem materna, D. Pedro era ligado ao imperador Francisco I, da Alemanha, da Áustria, da Hungria e da Boêmia, ele mesmo filho de Leopoldo II, imperador da Alemanha e irmão de Maria Antonieta, mulher de Luís XVI. Ao mesmo tempo, isolado no Paço, esquecido em consequência das conturbações políticas e da doença da mãe, D. Pedro II se tornava o “órfão da nação”.

SCHWARCZ, L. M. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos
trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 47-49. (Adaptado).


O texto descreve a linhagem familiar de D. Pedro II, que descende de portugueses e austríacos, enquanto a imagem representa D. Pedro II criança, que seria considerado órfão da nação, desde a Abdicação de seu pai. Diante do exposto e com base nos documentos, explique a associação entre

a) a linhagem familiar e as relações internacionais, no Império;

b) a orfandade de D. Pedro II e a construção de um projeto de nação para o Brasil, no Segundo Império.

a) A linhagem familiar era utilizada como instrumento da diplomacia internacional, por isso eram comuns os casamentos entre membros das aristocracias nacionais europeias. Os consortes e seus filhos legítimos garantiam assim a continuidade e manutenção do poder por parte da aristocracia europeia, na medida em que a ascendência legitimava a transmissão do poder monárquico. Os casamentos também eram realizados como instrumento garantidor dos tratados entre nações, selando a paz ou a união entre as monarquias.

b) Tanto o fragmento quanto a imagem procuram associar a figura de D. Pedro II à construção da nação brasileira. Ao contrário de seu pai, um português, o jovem imperador, deixado aos cuidados de José Bonifácio de Andrada, após a abdicação de D. Pedro I, foi tomado como um símbolo de uma monarquia genuinamente brasileira. Assim, o tema da monarquia nacional (e, portanto, da construção da ideia de nação) se impôs a todas as representações do jovem imperador, como se observa na imagem em que o símbolo da monarquia destaca-se no tambor.



TEMPO NA QUESTÃO

Relógio00:00:00

Gráfico de barras Meu Desempenho

História História do Brasil

Total de Questões: ?

Respondidas: ? (0,00%)

Certas: ? (0,00%)

Erradas: ? (0,00%)

Somente usuários cadastrados!

Postar dúvida ou solução ...