WhatsApp do Vestiprovas
Compartilhar

Responder Questão:

Goiás UFG 2013.2 Questão: 1 Português Interpretação de textos 

O diálogo entre Zé Paulo e Álvares de Azevedo se inicia com uma crítica aos autores românticos. Qual é a crítica feita por Zé Paulo? Exemplifique com trechos do Texto 1.

 

Texto 1

ZÉ PAULO
O que importa, digo eu! Esse é o problema com vocês, românticos, passam perto das grandes questões, mas embrulham tudo no mesmo saco: política, bebedeira, intriga, incesto e pirataria...

ÁLVARES
Ah, você queria cada ingrediente separadinho no seu canto, com as doses bem anotadas num papel para poder repetir a receita depois? Pois saiba que a nossa receita é irrepetível...

ZÉ PAULO
Ninguém está querendo repetir vocês.

ÁLVARES
Pois deveriam...

ZÉ PAULO
Mas eu os admiro muito. Vocês chegaram perto, muito perto...

ÁLVARES
Eu que o diga.

ZÉ PAULO
… mas deixaram escapar

ÁLVARES
Ah, é? E vocês? Fizeram um pouco melhor que isso? O seu século, a sua poesia, que nem sei como se chama pois vocês mudam tanto, uma hora são vanguarda, outra hora retaguarda ou sei lá o quê... por acaso, vo - cês chegaram mais perto?

ZÉ PAULO
Não, Álvares, nós também deixamos escapar. Chegamos perto, mas... ela sempre escapa... Por outro lado, nós acrescentamos alguma coisa.

ÁLVARES (irônico)
Sou todo ouvidos.

ZÉ PAULO
Nós acrescentamos... a Química.

ÁLVARES (perplexo)
A Química?

ZÉ PAULO
É. A possibilidade de isolar cada elemento, conhecer suas propriedades e com isso reconfigurar toda a matéria, toda a sociedade.

ÁLVARES
E?

Pausa.

ZÉ PAULO
E descobrimos que a Química não basta.

ÁLVARES
Disso eu já sabia há muito tempo.

ZÉ PAULO
Por isso mesmo nós precisamos de você. E dele (aponta para Mário).

ÁLVARES
O que ele tem a ver com isso?

ZÉ PAULO
Digamos que ele também deixou algumas tarefas incompletas... E, além disso, no fim da vida descobriu que a História e a Geografia são disciplinas importantes.

ÁLVARES
Você fala como um escolar.

ZÉ PAULO
Dou valor ao conhecimento.

ÁLVARES
Eu não.

ZÉ PAULO
Por isso mesmo precisamos de você, Álvares. Mesmo com a História, a Química, a Geografia e toda a li - teratura do mundo, ainda nos falta alguma coisa... Por isso eu fui procurá-lo... (Álvares vira-se para ele, interrogativo) Para que você possa concluir a sua obra.

ÁLVARES
Que obra?... Ela só me chega aos fragmentos. Acho que foi só fragmento o tempo todo...

ZÉ PAULO
Álvares, essa é a nossa condição. Hoje só existe poesia no inútil, no inacabado...

ÁLVARES
No meu tempo já era assim.

ZÉ PAULO
Eu sei, mas não havia ainda o Grande Ciclo da Produção e do Consumo.

ÁLVARES
Você é que pensa! E os nossos delírios, os nossos desvarios? Eram só ataques de mocinhas inteligentes? Por que você acha que nos consumíamos, um a um, até as últimas forças? Nós sabíamos exatamente o que se passava, os desastres que se preparavam nas mãos da Humanidade, e não deixamos passar em branco. Nós os denunciamos, pagamos o preço com a própria alma...

MARTINS, Alberto. Uma noite em cinco atos. São Paulo: Editora. 34, 2009. p. 46-50.

A crítica diz respeito ao modo generalizante como os românticos abordam as grandes questões.

Trecho: passam perto das grandes questões, mas embrulham tudo no mesmo saco: política, bebedeira, intriga, incesto e pirataria.



TEMPO NA QUESTÃO

Relógio00:00:00

Gráfico de barras Meu Desempenho

Português Interpretação de textos

Total de Questões: ?

Respondidas: ? (0,00%)

Certas: ? (0,00%)

Erradas: ? (0,00%)

Somente usuários cadastrados!

Postar dúvida ou solução ...